A PRODUÇÃO DE SOJA NO CERRADO AMAPAENSE

Cláudia Maria do Socorro Cruz Fernandes Chelala, Lucas Abimael Amaral Oliveira

Resumo


A partir do início desta década, o Amapá foi inserido na fronteira de expansão da soja, que veio do Centro-Oeste, e já abrange importantes Estados da região Norte. Em apenas seis anos, a agricultura empresarial, até então inexpressiva no Estado, passou a ocupar a agenda das questões econômicas, sociais e ambientais de grande interesse dos atores locais. Este artigo analisa o processo de ocupação das áreas do cerrado amapaense, destacando as vantagens, bem como os obstáculos característicos do desenvolvimento de uma atividade econômica, em uma região de fronteira. Observa-se que, apesar dos problemas advindos de questões fundiárias e ambientais, que momentaneamente representam entraves à atividade, o movimento de fortalecimento e expansão da produção de soja é inequívoco, em razão do conjunto de fatores locacionais que viabilizam fortemente o negócio, com potencial de modificar decisivamente a incipiente matriz econômica do Estado.

 


Palavras-chave


agricultura empresarial; soja; Amapá

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26694/equador.v8i2.9140

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista da Pós-graduação em Geografia, do Centro de Ciências Humanas e Letras da UFPI

 ISSN 2317-3491

A Revista está atualmente indexada às seguintes bases de dados: LATINDEX, DIADORIM, IBICT/SEER, SUMÁRIOS.ORG, PERIÓDICO CAPES, GOOGLE ACADÊMICO, GENAMICS JOURNAL SEEK.

A REVISTA EQUADOR faz uso do DOI (Digital Object Identifier), através da associação com o CrossRef.