SOLIDÃO TOTAL: HANNAH ARENDT E OS FUNDAMENTOS DO TOTALITARISMO

Roger Berkowitz

Resumo


Hannah Arendt decidiu responder à pergunta “O que é o totalitarismo?” olhando para o nazismo e o bolchevismo, os dois movimentos totalitários que marcaram a primeira metade do século XX. Ela entendia que o totalitarismo pretendia a evisceração total da liberdade. O governo totalitário visa o “domínio total de toda a população da terra, a eliminação de toda realidade rival não-totalitária”3. Uma vez que uma pessoa que pode pensar e mudar de ideia romperia o controle totalitário da realidade, a dominação total deveria obliterar a espontaneidade e a liberdade. O esforço totalitário é por transformar a pluralidade de pessoas em uma unidade; é “fabricar algo que não existe, isto é, um tipo de espécie humana que se assemelhe a outras espécies animais, e cuja única ‘liberdade’ consista em ‘preservar a espécie’“4. A perda total da liberdade externa e interna é o motor da dominação total


Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.26694/ca.v2i3.12861

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


                                            Endereço / Email:


                          Universidade Federal do Piauí, PET-Filosofia,

        Centro de Ciências Humanas e Letras, Campus Min. Petrônio Portela, 

                  CEP 64.049-550,  Teresina - PI, Fone: (86) 3237 1134 

                                    E-mail: nupha.ufpi@gmail.com

 

                                                Indexado em: